Dirigir com a mão no câmbio é um problema?

Maio 31

Pelas ruas do país, é possível encontrar muitos motoristas com hábitos ruins no trânsito enquanto dirigem o veículo. Muitas vezes, essas atitudes podem prejudicar a mecânica do automóvel, além de não serem permitidas por lei. Entre elas, podemos citar: colocar a mão para fora da janela, segurar o volante da maneira errada, manter o pé na embreagem após passar a marcha e, também, dirigir com a mão no câmbio.

Embora dirigir com a mão no câmbio pareça uma atitude inofensiva, fazer isso pode causar problemas mecânicos. Além de prejudicar a peça, esse ato ainda é considerado uma infração de trânsito. É sujeito à punição com a aplicação de quatro pontos na habilitação e o pagamento de multa de R$85,13. Segundo o Código de Trânsito Brasileiro (CTB), em seu artigo 252, inciso V: é proibido dirigir apenas com uma mão, exceto quando o(a) motorista fizer sinais regulamentares de braço, mudar a marcha do veículo ou acionar equipamentos e acessórios.

Mas, independente de ser obrigatório, manter as duas mãos ao volante devia ser um hábito de todos os motoristas. Pois, assim, as chances de perder o controle da direção são menores, aumentando a segurança na condução do carro.

Dirigir com a mão no câmbio pode ser um hábito automático, mas que representa problemas. Continue lendo para saber o motivo dessa prática não ser indicada.

Consequências de dirigir com a mão no câmbio

Dirigir com a mão no câmbio causa problemas

Esse hábito, tão comum aos motoristas, faz com que seja o funcionamento das marchas seja forçado e provoca diversos desgastes desnecessários. Além disso, com uma maior pressão sobre a peça, o motorista pode engatar uma velocidade incorretamente e acabar causando danos à caixa, principalmente em engrenagens e anéis sincronizados.

É importante destacar que, quando o automóvel está parado, não há nenhum prejuízo em manter a mão sobre o câmbio. Mas, em movimento, existem diversos problemas que podem ser causados, como os citados acima, que vão aparecer somente ao longo do tempo.

Como identificar se o câmbio está desgastado?

Como dissemos anteriormente, dirigir com a mão no câmbio gera diversos problemas mecânicos. No entanto, nem todos os motoristas levam isso a sério, pois os defeitos podem aparecer somente com o passar dos anos. Porém, os desgastes dessa peça não se resumem apenas aos hábitos de mau uso. Existe um conjunto de variáveis que interfere na avaliação para definir as condições de usabilidade.

Principalmente quando você adquire um carro usado, é importante prestar bastante atenção nesta parte da mecânica. Afinal, você não possui muitas informações sobre como o automóvel era utilizado.

Independentemente da procedência do veículo, seja um carro usado ou zero quilômetro, o principal sinal sobre a condição precária do câmbio são duas marchas entrando juntas incorretamente. Quando isso acontece, quer dizer que há uma folga na alavanca ou que a peça está arranhada.

Como evitar problemas no câmbio?

Por mais óbvio que seja, é importante reforçar a informação sobre o assunto. Mas, a principal dica para evitar danos é não dirigir com a mão no câmbio. Além disso, errar na mudança de velocidade no sistema de marchas é extremamente prejudicial.
Ao fazer a troca, é imprescindível acionar a embreagem do carro antes e lembrar que o câmbio deve sempre sair do “neutro”. Quando já estiver em movimento, nunca deve-se fazer uma mudança irregular, como: estar na segunda marcha e mudar para a quinta, por exemplo. Isso irá forçar as engrenagens do sistema de acionamento.

Agora você já sabe as consequências de dirigir com a mão no câmbio. Se houver dúvidas sobre o funcionamento desta peça do veículo, deixe nos comentários abaixo!

 

Fonte: Minuto Seguro

Deixe seu comentário:

Deixe seu comentário: